Mostrando postagens com marcador Laranja. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Laranja. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 8 de setembro de 2015

Indústria de suco de laranja rejeita proposta para o Consecitrus - Economia - Estado de Minas

BY Agro Mecânica Tatuí IN No comments

 Brasília, 06 - A indústria processadora de suco de laranja considerou
"inaceitável" a proposta elaborada pelos citricultores para o estatuto
do Conselho dos Citricultores e das Indústrias de Suco de Laranja
(Consecitrus) e rejeitou o documento encaminhado para análise, há mais
de dois meses, classificando-o como incompatível com o modelo do foro de
negociações da cadeia citrícola. A Associação Nacional de Exportadores
de Sucos Cítricos (CitrusBR) avaliou, ainda, o documento dos produtores
como fora do "objeto do Consecitrus", "incompatível com a liberdade
associativa e de livre iniciativa" e pediu às associações de
citricultores a revisão da proposta.

"A proposta de ajuste não
apenas foge do objeto do Consecitrus e é incompatível com a liberdade
associativa e de livre iniciativa, mas também não atende aos ajustes
determinados pelo Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) e,
mais que isso, contém disposições que ferem a lei de defesa da livre
concorrência e da livre iniciativa, sendo dessa forma inaceitável na
forma em que se encontra", informou a CitrusBR na resposta dada aos
produtores.

Uma minuta do documento, entregue aos produtores e
obtida pelo Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado, pede que
sugestões de ajustes das entidades de produtores do Consecitrus sejam
encaminhadas "o quanto antes" para que uma proposta final seja
encaminhada dentro do prazo ao órgão antitruste, ainda em setembro.

Elaborada
entre outubro de 2014 e junho deste ano pelas entidades de
citricultores que participam do Consecitrus - Associação Brasileira de
Citricultores (Associtrus), Sociedade Rural Brasileira (SRB) e Federação
da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo (Faesp) - a proposta
de estatuto previa vários pontos polêmicos. O principal tema de
discórdia é o fim gradual da verticalização na indústria de suco, até um
limite máximo de processamento de 20% da fruta própria para a produção
da bebida.

"Não cabe ao Consecitrus, nem seria legalmente
sustentável, a imposição de limitações à liberdade de empreender a quem
quer que seja, sob qualquer pretexto. A CitrusBR esclarece que impor tal
obrigatoriedade seria inconstitucional, excede os poderes do
Consecitrus e do próprio Cade", informou na resposta aos citricultores. A
entidade que representa as indústrias Cutrale, Citrosuco e Louis
Dreyfus Commodities (LDC) contesta a ideia dos produtores da criação,
pelo Consecitrus, de um contrato modelo a ser obrigatoriamente utilizado
na compra da laranja. "Não constitui objetivo do Consecitrus a criação
de qualquer tipo de contrato ou interferência nas relações comerciais de
quais agentes econômicos".

A indústria já havia manifestado
contrariamente à recriação de um contrato padrão para a compra de
laranja. O contrato padrão foi criado na década de 90 do século passado e
foi proibido em outubro de 1995 justamente pelo Cade, após denúncia
feita por produtores de prática de cartel e de imposição de preços pela
indústria.

Além de rechaçar a redução da verticalização e o
contrato padrão, a CitrusBR contesta ainda a proposta que restringe
apenas aos citricultores e indústrias membros do Consecitrus os
benefícios do conselho e, outra, que sugere a criação de um sistema de
controle de estoques de suco de laranja. "A CitrusBR entende que o
Consecitrus não tem por objetivo a criação de privilégios para
determinados agentes econômicos ou entidades do setor em detrimento de
outros. Entende (ainda) que o Consecitrus é uma entidade apenas
informativa, sem participação direta na atividade comercial dos agentes
econômicos", informam as companhias no documento.
AEstado


Outro ponto de
discórdia da indústria e produtores é a proposta, por parte dos
citricultores, de criação de um cronograma de colheita para a entrega
total da produção contratada, o qual prevê um prazo máximo de 24 horas
para recebimento e descarga da laranja após chegada à indústria. "A
CitrusBR esclarece que tais questões não podem ser compreendidas em
organizações estatutárias e o Consecitrus não pode definir limites ou
impor obrigações aos agentes econômicos", conclui o documento.

O
Broadcast apurou também que a CitrusBR é contrária à proposta das
entidades de produtores de que o primeiro orçamento do Consecitrus seja
bancado pela indústria com o recolhimento de US$ 10 por tonelada
exportada de suco de laranja. Como as exportações brasileiras são de
aproximadamente 1 milhão de toneladas por ano da bebida, o orçamento
inicial seria de US$ 10 milhões. Os produtores pedem ainda que as
indústrias façam, na assinatura do estatuto, um adiantamento de 20% do
valor estipulado para o custeio das despesas de funcionamento do
Consecitrus.

"O Consecitrus não será tratado por nós como balcão
de negócios. A ideia sempre foi a construção de um órgão focado em
transparência e informações e não para beneficiar qualquer tipo de
entidade, ou muito menos interferir em relações comerciais entre
empresas e fornecedores ou na vida privada de qualquer um dos dois",
disse ao Broadcast o diretor-executivo da CitrusBR, Ibiapaba Netto,
antes do encontro com os produtores.





Indústria de suco de laranja rejeita proposta para o Consecitrus - Economia - Estado de Minas

sexta-feira, 17 de julho de 2015

Vendas de laranja sobem em São Paulo | Canal Rural

BY Agro Mecânica Tatuí IN No comments

Vendas de laranja sobem em São Paulo 

Demanda aumenta, mas é insuficiente para provocar valorização do produto, diz Cepea 
Canal Rural - Leia mais no link http://www.canalrural.com.br/noticias/citrus/vendas-laranja-sobem-sao-paulo-57705 ou compartilhe este conteúdo através das ferramentas oferecidas na página. Os textos, fotos, vídeos e demais conteúdos do Canal Rural estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral, e não podem ser reproduzidos sem autorização prévia. Caso queira replicar algum conteúdo do Canal Rural, por favor, utilize o link original ou entre em contato (canalrural@canalrural.com.br). Siga-nos: https://www.facebook.com/canalrural, https://twitter.com/canalrural, https://instagram.com/canalrural



Vendas de laranja sobem em São Paulo | Canal Rural

quinta-feira, 2 de abril de 2015

Exportações de suco de laranja aumentam no mês de março - Globo Rural | Laranja

BY Agro Mecânica Tatuí IN No comments


agricultura_laranja_suco (Foto: Thinkstock)

O Brasil elevou suas exportações de suco de laranja no mês de
março, de acordo com relatório divulgado pelo Ministério do
Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). O volume
embarcado foi de 239,4 mil toneladas com uma receita de US$ 256,4
milhões.



Na comparação com março de 2014 – quando os embarques somaram 109,3 mil toneladas – houve um crescimento
de 119%. A receita com as vendas externas aumentou 109,3%. Um ano
atrás, o MDIC tinha registrado faturamento de US$ 122,5 milhões.



Em relação a fevereiro deste ano – quando os embarques somaram 161 mil
toneladas – houve um crescimento de 48,69%. A receita com as vendas
externas aumentou 58,07%. Em fevereiro, o MDIC tinha registrado
faturamento de US$ 162,2 milhões.





Exportações de suco de laranja aumentam no mês de março - Globo Rural | Laranja

sábado, 8 de novembro de 2014

Suco de laranja também mata a fome | Brasil 24/7

BY Agro Mecânica Tatuí IN No comments

 :




Em vídeo que faz parte de campanha educativa da
CitrusBR, que representa os exportadores brasileiros de sucos cítricos,
especialista no alimento explica como e por que você se sente saciado ao
tomar um copo de suco de laranja; assista


10 de Outubro de 2014 às 20:14








247 – Um copo de suco de laranja pode matar sua
fome. Isso porque um dos principais hormônios relacionados à saciedade, a
leptina, tem a produção aumentada no organismo quando se ingere
determinados tipos de alimentos, entre eles o suco de laranja. Ela
então, de alguma forma, "avisa" o cérebro que você está saciado.


A explicação é feita pela professora doutora Thaís César, da
Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Unesp de Araraquara, em São
Paulo, uma das principais especialistas em suco de laranja no Brasil.
Ela aborda o tema em um vídeo educativo produzido pela CitrusBR,
Associação Nacional dos Exportadores de Sucos Cítricos.


"Nós podemos dizer que o suco de laranja é um aliado da dieta
saudável, que ele não vai estimular a obesidade ou o sobrepeso ou o
aumento de peso, ele vai na realidade ajudar o indivíduo a ter uma dieta
mais saudável e com melhor controle da saciedade", diz ela. Assista ao
vídeo abaixo:


Suco de laranja também mata a fome | Brasil 24/7

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Mesmo com lentidão nos negócios, laranja sobe na semana - Globo Rural | Laranja

BY Agro Mecânica Tatuí IN No comments

laranja_agricultura_fruta (Foto: Ernesto de Souza/Ed. Globo)



As negociações de laranja de mesa estão em ritmo lento no estado de São Paulo. A informação foi divulgada nesta sexta-feira (3/10) pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea).
“O período de final de mês enfraqueceu a demanda pela fruta, mas agentes têm expectativa de melhora nas próximas semanas, fundamentados no clima quente. Alguns produtores reduziram os valores pedidos para manter as vendas”, informou a instituição.
Apesar disso, a média parcial da semana (segunda a quinta-feira) subiu 3,3%, a R$ 12,23 a caixa de 40,8 quilos na árvore.


Mesmo com lentidão nos negócios, laranja sobe na semana - Globo Rural | Laranja

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Com proposta bilionária, rei da laranja brasileiro quer virar rei das bananas - BBC Brasil - Notícias

BY Agro Mecânica Tatuí IN No comments

AFP



O brasileiro considerado o "rei da laranja" no mundo quer virar também o "rei da banana".
Neto de um feirante que vendia laranjas, José Luís Cutrale herdou o reinado de seu pai e comanda hoje uma das maiores exportadoras mundiais de suco de laranja, a Cutrale.
Ao contrário de muitos empresários, ele foge dos holofotes. Reservado, evita fotos e entrevistas e sua empresa, de capital fechado, não divulga resultados.
Nesta segunda-feira, a Sucocítrico Cutrale e o grupo Safra, também brasileiro, fizeram uma proposta de US$ 625 milhões (aproximadamente R$ 1,4 bilhão) para adquirir a americana Chiquita, líder global em produção de bananas.
O negócio, apelidado de "guerra das bananas" - pois abre uma disputa com outra empresa que já estava em processo de fusão com a Chiquita -, foi destaque em publicações estrangeiras como o Financial Times e o Wall Street Journal.
A Cutrale é responsável pela venda de um em cada três copos de suco de laranja no mundo. Mas, nos últimos anos, o consumo do suco declinou, o que explica a tentativa da empresa de diversificar seus negócios, primeiro com a soja e, agora, com a banana.

Reservado

Figura reservada, Luís Cutrale não costuma dar entrevistas ou tirar fotos. A empresa, com sede em Araraquara, no interior de São Paulo, segue a mesma linha: é conhecida por ser pouco transparente e avessa a entrevistas.
A Cutrale não informou dados sobre o faturamento ou sobre a história da empresa para esta reportagem. Também não quis enviar fotos. Nem mesmo o perfil de José Luís na revista Forbes, que lista milionários de todo o mundo, traz foto do empresário. De dados pessoais, apenas a formação em Administração e a idade, 68 anos.
A gigante da laranja tem uma gestão familiar e, exatamente por ser muito fechada, é cercada de mitos. Diversos jornais já disseram que, em Araraquara, a Cutrale construiu um condomínio cercado por um muro em formato de coração e com seguranças armados para os maiores executivos da empresa -informação que a Cutrale não comentou.
Foto ilustrativa de laranjal. Credito: Thinkstock
Cutrale é uma das líderes mundiais em produção de laranja
Uma pessoa próxima ao grupo disse que, apesar desta imagem de união extrema condizente com uma empresa familiar, os empresários passam a maior parte do tempo viajando a negócios. A Cutrale é gerida por José Luís e por seus dois filhos, descritos como pessoas simples e que valorizam sua privacidade.
"São pessoas normais, que querem andar na rua tranquilos. São muitoworkaholics e, apesar de ser uma empresa familiar, o nível de governança é muito sofisticado. Eles têm controle de tudo", disse a fonte à BBC Brasil.
O império do suco de laranja começou a ser erguido pelo avô de José Luís Cutrale, um imigrante italiano que tinha uma banca de laranjas no Mercado Municipal de São Paulo.
O pai de José Luís, José Cutrale Júnior, é exemplo típico de empresário que, apesar da falta de estudos, conseguiu conquistar o mundo. Largou a escola e começou a trabalhar com o pai ainda adolescente. Nos anos 50, comprou a primeira fazenda do grupo e, em 1967, fundou a Cutrale.
No livro Citrus, o professor e químico Pierre Laszlo afirma que Cutrale Júnior tirou vantagem de uma geada que destruiu laranjais na Flórida para crescer mundialmente. Ele se associou à Coca-Cola para a produção do suco Minute Maid e, quando os EUA adotaram medidas antidumping contra a Cutrale, transferiu parte da produção para lá.
Cutrale Júnior morreu em 2004, deixando a empresa, já uma gigante, nas mãos do filho, José Luís.

Expansão

A expansão da empresa no Brasil e no exterior não ocorreu sem controvérsias. Nos Estados Unidos, a Cutrale foi alvo de queixas trabalhistas sobre salários e demissões. No Brasil, já sofreu condenações por supostos atos de discriminação e foi flagrada em condições irregulares de trabalho. À época, a empresa negou as suspeitas.
No Brasil, a empresa manteve boas relações com diferentes governo. O nome da Cutrale costuma figurar entre os de doadores de verbas para campanhas eleitorais - em 2010, a empresa doou para os comitês de Dilma Rousseff, do PT, e de José Serra, do PSDB.
José Luís foi nomeado para integrar o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), órgão consultivo que reunia governo e sociedade civil, no governo Luiz Inácio Lula da Silva.


Em 2009, a Cutrale virou notícia quando o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) destruiu plantações de laranja de uma de suas fazendas. O então presidente Lula chamou a ação de "vandalismo".


Com proposta bilionária, rei da laranja brasileiro quer virar rei das bananas - BBC Brasil - Notícias

sexta-feira, 27 de junho de 2014

G1 - Em SP, só os produtores de laranja que têm contratos fazem a colheita - notícias em Agronegócios

BY Agro Mecânica Tatuí IN No comments

Produtores de laranja enfrentam problemas nesta safra.

No mercado internacional, a cotação do suco acumula quedas.

Do Globo Rural
Comente agora
Os produtores de laranja de São Paulo estão enfrentando problemas nesta safra. A indústria de suco está comprando menos e só quem tem contratos antigos consegue entregar a fruta.
A máquina faz o transbordo da fruta colhida na roça para o caminhão, que leva a produção para a indústria. Mas em uma das unidades do principal fabricante de suco do país, nem parece que a safra começou. O vai-e-vem das carretas ainda está fraco.
O caminhoneiro Marcelo Zedu conta que fez apenas 20 viagens em 45 dias, enquanto no pico da safra era uma média de uma viagem por dia.
A colheita não entrou no ritmo normal porque muitos citricultores ainda não fecharam contratos com a indústria.
Em uma fazenda em Descalvado, no centro de São Paulo, a situação é diferente. A colheita começou porque o produtor rural já tinha um contrato longo com a indústria, o que garantiu a venda da fruta precoce. São 600 hectares de laranja e a expectativa é colher 1 milhão de caixas.
Na lavoura irrigada, a produção rendeu cinco caixas por pé e o preço, que depende da cotação do dólar, também anima o citricultor Roberto Jank.
Quem tem esse tipo de contrato deve receber entre R$ 11 e R$ 12,50 por caixa. Já o mercadospot, quando a fruta é negociada na porta da fábrica ao preço do dia, ainda está parado.
No mercado internacional, a cotação do suco de laranja vem acumulando quedas. Na semana, a desvalorização chegou a 8,5%.


G1 - Em SP, só os produtores de laranja que têm contratos fazem a colheita - notícias em Agronegócios

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Suco de laranja perde espaço no mercado para energéticos e água saborizada | Economia: Diario de Pernambuco

BY Agro Mecânica Tatuí IN No comments




Diego Amorim - Correio Braziliense



Publicação: 21/04/2014 09:18
Atualização:







O suco de laranja
está perdendo a briga para energéticos, águas saborizadas, complexos
vitamínicos e outros produtos que invadiram o mercado. Responsáveis por
50% da produção mundial da fruta e por 80% de toda a comercialização de
suco no planeta, industriais brasileiros decidiram reagir com mais
firmeza para tentar estancar a queda do consumo da bebida nos Estados
Unidos e em países da Europa, destino de quase toda a produção
brasileira.

A preocupação aumentou depois que os empresários
tiveram acesso a dados preliminares do ano passado. Os números, ainda
não divulgados oficialmente, devem indicar que a demanda norte-
americana segue ladeira abaixo, além de uma estagnação no continente
europeu. Entre 2002 e 2012, o consumo mundial da fruta caiu de 2,4
milhões para 2,1 milhões de toneladas de suco concentrado — recuo de
14,2% —, apresentando tendência de queda contínua.

Destrinchando
as estatísticas, chega-se à conclusão de que, por ano, têm sumido do
mercado algo em torno de 7,8 milhões de caixas de laranja. “É uma
situação bastante complicada, mas dá para ser revertida”, acredita
Ibiapaba Netto, diretor executivo da CitrusBR, formada por três gigantes
do setor: Cutrale, Louis Dreyfus Commodities e Citrosuco. Juntas, as
empresas, sediadas em São Paulo, faturam anualmente cerca de US$ 2,5
bilhões.






Suco de laranja perde espaço no mercado para energéticos e água saborizada | Economia: Diario de Pernambuco

terça-feira, 11 de março de 2014

G1 - Interior de SP realiza 1º experimento do país com laranjas transgênicas - notícias em São Carlos e Região

BY Agro Mecânica Tatuí IN No comments

O primeiro experimento com laranjeiras geneticamente modificadas do Brasil está sendo comandado pelo Fundecitrus, em Araraquara (SP), em uma parceria com o Instituto Valenciano de Investigação Agrária, da Espanha. Cerca de 650 mudas resistentes a pragas foram plantadas em uma área de Ibaté (SP). As doenças foram responsáveis pela eliminação de 25 milhões de pés de laranja no Estado de São Paulo, o maior produtor do país nos últimos anos, segundo na Secretaria de Agricultura.
A pesquisa é considerada uma das mais importantes dos últimos anos na citricultura. Exemplares de plantas modificadas geneticamente foram importados para o procedimento. Esta é a primeira vez que se faz um estudo com o ciclo completo da laranja. Os trabalhos anteriores foram interrompidos antes da planta dar frutos ou florescer.
Por medida de segurança, o local onde as mudas estão plantadas em Ibaté é mantido em segredo pelos pesquisadores. O presidente do fundo, Lourival Carmo Monaco, afirma que essa pode ser uma forma facilitar o fim das pragas no estado. “Nós vamos garantir a existência da citricultura e aumentar a produtividade, porque nos interessa que o produtor seja beneficiado e que a sociedade como um todo tenha os benefícios do desenvolvimento de uma cultura como essa”, afirmou.
Pesquisadores de Araraquara fazem experimento com a laranja transgênica  (Foto: Reprodução/EPTV)Pesquisadores de Araraquara fazem experimento
com a laranja transgênica (Foto: Reprodução/EPTV)
Gene
Os pesquisadores desativaram um gene da laranja fazendo com que o cheiro que atrai as mocas, por exemplo, não seja mais produzido. “O limoneno é uma substância que a laranjeira tem na parte externa da fruta, que tem o papel de atrair insetos ou pragas e mesmo conferir resistência maior às principais doenças. Na medida que você altera esse metabolismo da fruta ela tem uma maior tolerância a algumas das doenças da fruta e menor repelência ou menor atração à praga”, explicou o gerente de pesquisa e desenvolvimento Juliano Ayres.
A previsão é de que o estudo de campo dure sete anos e meio e as laranjeiras devem começar a dar frutos em 2016. Quando isso acontecer será possível analisar se as plantas transgênicas são resistentes a fungos e pragas, como a pinta preta, e que não atraiam a mosca da fruta que tanto incomodam os produtores. “O objetivo é ter mais laranjeiras em que se possa utilizar menos insumos, e com isso ter uma citricultura mais sustentável ao longo do tempo”, comentou Ayres.
Segundo a Coordenadoria de Defesa Agropecuária, as pragas são responsáveis por boa parte das plantas eliminadas no estado nos últimos anos. “Não existe controle depois que o cancro ou o greening se instalam, são duas bactérias que atacam e depois disso o único meio de controle é eliminando a planta”, afirmou o diretor da coordenadoria, Vicente Paulo Martello.
Objetivo de pesquisa com laranja transgência é combater pragas Araraquara Ibaté (Foto: Reprodução/EPTV)Objetivo de pesquisa com laranja transgência é
combater pragas (Foto: Reprodução/EPTV)
Produção e vantagens
O número de pés de laranja estão caindo a cada ano. Em 2000, o estado tinha quase 300 milhões e a produção passou de 350 milhões de caixas de 40 quilos. Já em 2013, os pés em produção caíram para 170 milhões e foram colhidos cerca de 286 milhões de caixas.
Acostumados a lidar com as pragas, os agricultores gostaram das novidades sobre o experimento.  O citricultor Sérgio Spagnolo, deSão Carlos (SP), acredita que a produção deve ficar mais barata. Os gastos com inseticidas e funcionários que aplicam o produto representam 30% dos investimentos. O custo para produzir uma caixa, por exemplo, deve ficar até R$ 4 mais barato. “Uma mutação que motive a diminuição desse consumo de fungicidas vai ser melhor tanto para quem compra como para quem produz”, comentou.
Para o consumidor, a dúvida é sobre o sabor da laranja, que segundo os pesquisadores deverá continuar a mesma, inclusive com os mesmo nutrientes. “Em condições de laboratório pode-se identificar que o sabor da fruta é o mesmo”, disse o gerente da pesquisa.
Supostos danos
Outra questão é que grupos de ambientalistas dizem que os transgênicos causam danos ao meio ambiente. Eles também criticam o fato de que não está provado que os produtos são seguros para o consumo humano e animal.
“Existe a possibilidade de fazer mal tanto para a saúde humana quanto para o ambiente. Teriam que ser feitas pesquisas de mais longo prazo. As que são feitas são de curto prazo e não tem como a gente avaliar exatamente quais os verdadeiros efeitos”, disse a agrônoma Juliana Ortega Smith.


G1 - Interior de SP realiza 1º experimento do país com laranjas transgênicas - notícias em São Carlos e Região

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Brasil testa laranja transgênica resistente a pragas - Globo Rural | Laranja

BY Agro Mecânica Tatuí IN No comments

O Brasil, maior produtor mundial de laranja e de suco, avança nas pesquisas para a produção da primeira planta transgênica resistente a pragas. Um grupo de pesquisadores comandados pelo Fundo de Defesa da Citricultura (Fundecitrus) e coordenado pelo cientista espanhol Leandro Peña - um dos pioneiros em biotecnologia de citros no mundo - iniciou este ano um teste inédito no Brasil com o cultivo de pomares de laranjeiras geneticamente modificadas.

Já foram plantadas 650 mudas transgênicas em uma propriedade rural na cidade de Ibaté (SP). Elas são derivadas de 40 borbulhas (ramos) de laranja doce importadas da Espanha, que passaram por um período de quarentena e ainda por autorização da Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio). Em dois anos e meio as plantas devem gerar as primeiras laranjas transgênicas produzidas em campo no Brasil.

As frutas serão inéditas porque nas pesquisas anteriores em campo eram proibidos o florescimento e a frutificação da árvore, o que impedia a avaliação dos efeitos da transgenia na laranja. Foi o que ocorreu com a Alellyx, empresa de biotecnologia do Grupo Votorantim, incorporada em 2010 pela Monsanto, que deixou de pesquisar citros após a operação.

No entanto, a partir de maio do ano passado a CTNBio autorizou o cultivo de plantas transgênicas com o ciclo completo.

Os pesquisadores acreditam que, por meio da modificação genética, as plantas já cultivadas no interior paulista sejam resistentes à pinta preta dos citros e ao cancro cítrico, pragas severas aos pomares brasileiros, que movimentam por ano cerca de US$ 6,5 bilhões.

Segundo o gerente de Pesquisa e Desenvolvimento do Fundecitrus, Antonio Juliano Ayres, ainda este ano outros pomares transgênicos serão cultivados. O primeiro na região sul de São Paulo, para avaliar os efeitos do clima mais ameno nas plantas, e outro no norte do Paraná, para testar a resistência ao cancro, já que a pesquisa com a doença em ambientes abertos é proibida nas lavouras paulistas.

"Em dois anos e meio as plantas começarão a produzir ", explicou Ayres. Os resultados finais só devem ser verificados em mais de sete anos, já que é necessário avaliar se a planta seguirá resistente à doença e com boa produtividade. Assim, as primeiras frutas transgênicas só devem ser viáveis comercialmente na próxima década.

Paralelamente, o Fundecitrus realiza estudos em busca de uma variedade transgênica de laranja capaz de ser resistente ao greening, a pior praga da citricultura mundial. No entanto, Ayres alerta que as futuras laranjeiras transgênicas não deverão ser a solução exclusiva para o fim das pragas, principalmente do greening, nos pomares. Para ele, o uso das plantas geneticamente modificadas terá de ser consorciado com o manejo dos pomares, com aplicação de inseticidas, o controle biológico das pragas, fiscalização e erradicação de plantas doentes. "É bom lembrar que pode ser possível que as pragas se tornem resistentes às plantas transgênicas. Isso acontece, por exemplo, com doenças humanas em relação aos antibióticos", comparou. As informações são do jornal O Estado de São Paulo.





Brasil testa laranja transgênica resistente a pragas - Globo Rural | Laranja

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

G1 - Seca e calor prejudicam produtividade da safra de laranja em Pirassununga - notícias em São Carlos e Região

BY Agro Mecânica Tatuí IN No comments





Citricultores que possuem pomares que dependem da chuva têm prejuízos.
Apenas pomares com irrigação devem atingir a produtividade esperada.


O clima seco e o calor podem prejudicar a próxima safra de laranja, em Pirassununga(SP). Sem chuva, os agricultores já sentem os reflexos em seus pomares. Os frutos estão menores e com menos qualidade. Apenas os pomares com irrigação devem atingir a produtividade. Segundo o Sindicato dos Citricultores, a situação ainda não tem efeito no preço do suco de laranja nos supermercados.
Segundo o agrônomo Ronei Romano, após uma florada bem sucedida que garantiu pés carregados, a falta de chuva vai causar prejuízos. “A fruta chegou a um ponto que precisa de chuva para o enchimento dela, para atingir o tamanho esperado. Se não chover agora, a tendência é que a fruta não forme um reservatório para que no futuro, quando chover de novo, ela se encha de água para dar o rendimento na caixa peso para o produtor", explicou.
Em uma fazenda de São Carlos, a produtividade está garantida com irrigação. São dois poços artesianos com capacidade para captar um milhão de litros de água por hora. Eles são usados para irrigar 280 mil pés de laranja. Cada pé consome 50 litros de água. 
Segundo o junk citricultor Roberto Hugo, só por meio da irrigação para enfrentar um dos piores períodos de estiagens registrados na fazenda. “Temos registros de chuva desde 1959 , diário e mensal, nesses 55 anos não há um caso igual a esse, tivemos 49 milímetros. O normal de janeiro seria de 250 a 400 milímetros”, relatou.
Ele contou que o sistema de irrigação foi implantado há 10 anos, mas por conta da crise no setor, o investimento ainda foi pago. A esperança de Hugo é que esta safra seja melhor. "A expectativa é colher 900 mil caixas de 40 quilos. Para isso, estamos irrigando 21h por dia. O custo sobe muito, mas é melhor pagar do que perder a produção”, disse.
Casal de agricultores seguem tradição religiosa em Pirassununga (Foto: Ely Venâncio / EPTV)Casal de agricultores segue tradição religiosa em
Pirassununga (Foto: Ely Venâncio / EPTV)

O casal de agricultores Walter Baldin e Helena Luzia Baldin, que possui uma fazenda com 52 mil pés de laranja, segue uma tradição religiosa.

“Vamos até a capela e levamos uma garrafa d’ água para pedir que a estiagem acabe. Eu rezo para Santa Cruz mandar chuva para nós. As lavouras já estão secando, pelo visto vai faltar água. Então temos que pedir muito a Deus”, disse Luzia.
“Pretendíamos produzir 50 mil caixas de 40 quilos, mas com a falta de chuva a situação é preocupante. Vamos enfrentar essa estiagem com fé. Estou torcendo para que venha chuva, e se Deus quiser, vai chover”, falou Baldin.
Impacto
Segundo o Sindicato dos Citricultores, só depois da colheita no meio do ano vai ser possível avaliar o impacto da seca para o consumidor. Para a Associação Nacional de Exportadores de Sucos Cítricos ainda é cedo para saber o impacto que este longo período de estiagem vai causar na safra deste ano.
Irrigação melhora a produtividade da safra de laranja em São Carlos (Foto: Ely Venâncio / EPTV)Irrigação melhora a produtividade da safra de laranja em São Carlos (Foto: Ely Venâncio / EPTV)



G1 - Seca e calor prejudicam produtividade da safra de laranja em Pirassununga - notícias em São Carlos e Região

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

G1 - Pesquisa da Unesp revela que laranja inibe o apetite e ajuda a emagrecer - notícias em São Carlos e Região

BY Agro Mecânica Tatuí IN No comments



Uma pesquisa da Universidade Estadual Paulista (Unesp) de Araraquara (SP) revelou a laranja, fruta conhecida por ser bastante calórica, pode ser uma aliada para quem quer perder peso. Os pesquisadores constaram que ela libera uma substância que aumenta a saciedade e ajuda a inibir o apetite, ou seja, a pessoa toma o suco e come bem menos na próxima refeição.
Os testes foram feitos com sucos frescos e industrializados no laboratório da Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Araraquara. Nos dois casos, o resultado foi o mesmo. Quarenta voluntários tomaram a bebida durante um ano e depois tiveram o sangue analisado.
Os especialistas descobriram que o suco de laranja aumenta os níveis de leptina no organismo. Esse hormônio age numa região do cérebro chamada de hipotálamo e inibe os receptores do apetite.
Um copo da bebida tem, em média, 120 calorias, mas a pesquisadora garante que o suco pode mesmo ajudar a emagrecer. “Ao invés de se consumir alimentos com muito mais caloria e menos nutrientes e que não causem saciedade, como por exemplo, os refrigerantes e as bebidas adoçadas com açúcar, se você consumir o suco de laranja, vai ter o benefício não só dos nutrientes, mas também de um aumento da saciedade. Vai engordar menos e pode ajudar na manutenção do peso corporal”, explicou a professora de nutrição e saúde Unesp de Araraquara Thaís Borges Cesar.
Pesquisa da Unesp revela que laranja inibe o apetite e ajuda a emagrecer (Foto: Rodrigo Sargaço/EPTV)Pesquisa da Unesp revela que laranja inibe apetite
e ajuda a emagrecer (Foto: Rodrigo Sargaço/EPTV)
Comprovação
Um voluntário que participou da pesquisa comprovou a diferença. Ele tomou o suco pelo menos uma vez a cada 15 dias e disse que ficou um bom tempo sem fome. “Eu ficava de duas a três horas saciado quando eu tomava um copo de 300ml de suco. Ou então, quando tomava um copo de suco e esperava uns 30 minutos para tomar o café da manhã, eu passei a perceber que eu comia menos porque eu não tinha tanta fome se eu tivesse direto do jejum para o café da manhã”, relatou.
Depois da experiência, a rotina dele mudou. “Já emagreci dois quilos, então tem um resultado na saúde. Claro, associando a um exercício físico, não é só o suco que vai fazer milagre”, disse o voluntário que atualmente toma pelo menos um copo de suco de laranja por dia.
Sem açúcar
Para que a bebida tenha esse efeito, entretanto, é preciso tomá-la sem adoçar porque se for colocado açúcar no suco, o resultado pode ser o inverso, já que ele é rapidamente absorvido pelo organismo, causando a sensação de fome e não de saciedade. A dose recomendada é de dois copos por dia.
Suco deve ser tomado sem açúcar para ter o benefício (Foto: Rodrigo Sargaço/EPTV)Suco deve ser tomado sem açúcar para ter o benefício (Foto: Rodrigo Sargaço/EPTV)
Mais saciedade
Assim como o suco de laranja, existem outros alimentos que conseguem enganar a fome. Entre eles está a aveia. Os farelos se expandem no estômago e fazem a pessoa se sentir com a barriga cheia.
A cenoura crua é outra aliada da balança. Ela tem uma textura firme que obriga a pessoa a mastigar mais. O cérebro entende que há muito alimento sendo consumido e avisa que está na hora de parar de comer.
As fibras do abacaxi mantêm o estômago ocupado na digestão por mais tempo do que outros alimentos. Além disso, as vitaminas e minerais ajudam no equilíbrio do organismo. E um corpo saudável corre menos risco do cair na gula.
Outro alimento que também ajuda a dar sensação de saciedade é a chia, uma semente com muitas fibras, assim como a aveia. A chia pode ser consumida junto com o suco de laranja, uma hora antes das refeições.

G1 - Pesquisa da Unesp revela que laranja inibe o apetite e ajuda a emagrecer - notícias em São Carlos e Região

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Conab reduz previsão de safra de laranja de São Paulo - EXAME.com

BY Agro Mecânica Tatuí IN No comments


Funcionários manipulam laranjas em esteira em fábrica de suco: São Paulo concentra a grande maioria das indústrias processadoras da fruta do Brasil
São Paulo - A estimativa de produção comercial de laranja em São Paulo, maior produtor brasileiro da fruta, foi reduzida em 9,5 por cento ante a previsão de agosto, devido principalmente a problemas climáticos, informou nesta quinta-feira a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).
A produção comercial de laranja em São Paulo foi estimada em 268,6 milhões de caixas de 40,8 kg na temporada em 2013/14, contra 296,8 milhões de caixas na projeção anterior.
Já a produção de laranja em São Paulo destinada à indústria de suco foi prevista em 215,3 milhões de caixas, queda de cerca de 15 por cento na comparação com a estimativa anterior.
São Paulo concentra a grande maioria das indústrias processadoras da fruta do Brasil, o principal exportador global de suco de laranja.
A Conab citou problemas climáticos, como a falta de chuvas, em seu relatório sobre a produção, além das doenças que afetam o parque citrícola paulista, como o cancro e o greening, para explicar a queda na colheita esperada.
"O baixo rendimento da fruta está intimamente ligado ao alto índice pluviométrico ocorrido na época de maturação dos frutos", disse a Conab em nota, que acrescentou que o clima também não foi favorável no período de florada em 2012.
Além da questão climática, a baixa remuneração dos agricultores, sobretudo na safra 2012/13, "fez com que citricultores reduzissem os tratos culturais, sendo que alguns deixaram até mesmo de utilizar seus sistemas de irrigação".
A produtividade média estimada foi de 1,57 caixa de 40,8 kg por planta, o que corresponde a 578 caixas por hectare.
A Conab não forneceu dados comparativos com a safra passada.
Conab reduz previsão de safra de laranja de São Paulo - EXAME.com

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Seca prejudica produtividade da safra de laranja de Sergipe

BY Agro Mecânica Tatuí IN No comments

Do Globo Rural
Comente agora
Gildeon Silva Vitória tem uma pequena propriedade no município de Boquim, que fica no sul de Sergipe.
O ano passado, por causa da estiagem que atingiu a região, ele colheu 18 toneladas, mas este ano, como a seca foi menos intensa, a produção deve chegar a 36 toneladas nos quatro hectares.
O município tem 1,5 mil produtores. A colheita começou em maio e deve chegar a 56 mil toneladas, bem abaixo da expectativa.
Assim como em Boquim, outros 13 municípios que formam a região citrícola do estado também tiveram prejuízos.
Teve citricultor que investiu na diversificação de culturas e em sistema de irrigação para tentar amenizar os efeitos da seca. As estratégias garantiram maior produtividade este ano e menos prejuízo financeiro.
Com ajuda da irrigação, Renato de Souza Messias diversificou a cultura da laranja  com pimenta e mamão. A técnica evita o empobrecimento do solo.
O agricultor espera colher 20 toneladas de laranja em um hectare, acima da média da região, que é de 14 toneladas por hectare.

terça-feira, 5 de novembro de 2013

CMN define preço mínimo da laranja

BY Agro Mecânica Tatuí IN No comments


O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou o preço mínimo de R$ 10,10 por caixa com 40,8 kg de laranja para a safra 2013/14. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) deverá iniciar em breve leilões de apoio  à comercialização, visando a contribuir para o crescimento do mercado interno de laranja e suco de laranja. Além disso, haverá a possibilidade de contratar operações de Financiamento para Garantia de Preços ao Produtor (FGPP).
O preço mínimo da laranja foi estabelecido pela primeira vez em 2012 e vigorou até o dia 28 de março de 2013, como parte de um conjunto de medidas adotadas pelo governo federal para dar suporte ao setor citrícola, que envolveram renegociação de dívidas, financiamento para estocagem de suco de laranja, além dos leilões de PEP e Pepro.
De acordo com o secretário de Política Agrícola do Mapa, Neri Geller, diante da conjuntura atual de mercado, com baixos preços pagos ao produtor e estoques elevados de suco de laranja, adotar o preço mínimo também para esta safra é uma medida para garantir renda ao citricultor. “A expectativa é de que haverá mercado para toda esta safra de laranja, chegando ao final do ano com estoques mais baixos, o que deverá ajustar os preços para cima na safra seguinte”, ressaltou Neri Geller.
Segundo a CitrusBr, os estoques globais de suco de laranja concentrado e congelado brasileiro, em 30 de junho de 2013, eram de 766 mil toneladas, equivalente a 35 semanas de consumo; para 30 de junho de 2014 espera-se um volume de 476,6 mil toneladas, equivalente a 22 semanas de consumo no mercado mundial.

CMN define preço mínimo da laranja