Contact Us

Nome

E-mail *

Mensagem *

Mostrando postagens com marcador Curiosidades. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Curiosidades. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Cliente precisa assinar termo antes de provar o hambúrguer superapimentado | Blog do Curioso, por Marcelo Duarte

BY Agro Mecânica Tatuí IN No comments

Uma lanchonete norte-americana aposta neste mês de agosto em uma
novidade que irá literalmente apimentar o seu cardápio. Entre os dias 10
e 22 de agosto, o Hopdoddy Burger Bar oferece o The Love at First Sting
(“amor à primeira mordida”), que certamente entrará na lista dos
lanches mais picantes já criados até hoje. A invenção é tão apimentada
ao paladar humano que os corajosos que se aventurarem a conhecê-la
precisarão antes assinar um termo de responsabilidade, isentando a
Hopdoddy de qualquer culpa por eventuais efeitos colaterais.


O sanduíche, que custa 13 dólares (equivalente a cerca de 40 reais),
leva um hambúrguer simples e se destaca mesmo é pelo arsenal de
pimentas, comandado pela Trindad Scorpion Butch T. Trata-se da
quarta espécie de pimenta mais ardida do mundo, de acordo com a Escala
de Scoville, que mede a acidez das pimentas. Como se isso não fosse
suficiente, o lanche carrega ainda variações da ghost peper
(que também aparece na lista das 10 primeiras na Escala Scoville). Além
de um pedaço dela, um molho e uma fatia de queijo feitos a partir dessa
espécie também estão presentes.


Love at First Sting, a apimentada criação da Hopdoddy Burger Bar (Foto: Divulgação)
Espécies mais leves (classificadas na escala Scoville como “muito
picantes”, e não “extremamente picantes” como as outras) como a Habanero
e a Serrano e uma maionese picante completam a mistura apimentada.
Entre as duas fatias de pão encontram-se ainda cebola caramelizada,
tomate e salada. Para acompanhar, um milk shake de baunilha, embora a
foto de divulgação postada no Facebook da casa mostre o lanche junto de
um copo de cerveja.


Nos comentários do post, teve quem aceitasse previamente o desafio:
“Isso parece bom”, disse um. “Eu irei e levarei minha filha de 13 anos
junto para mostrar o que o Texas pode fazer”, brincou outro. “Vocês
podem parar de adicionar pimenta depois de colocarem a ghost pepper
porque ninguém mais vai sentir o gosto de nada”, sugeriu um terceiro. A
Hopdoddy Burger Bar tem 22 lojas espalhadas pelos Estados do Texas
(onde estão 13 delas), da Califórnia, do Arizona, do Colorado e do
Tennessee.

 





Cliente precisa assinar termo antes de provar o hambúrguer superapimentado | Blog do Curioso, por Marcelo Duarte

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Vídeo mostra fábrica clandestina da Budweiser! Será verdade? | E-farsas.com – Desvendando farsas da web desde 2002!

BY Agro Mecânica Tatuí IN No comments

Um vídeo denuncia uma fábrica clandestina da cerveja Budweiser, mas será que isso é verdade mesmo? Descubra aqui no E-farsas!
O filminho apareceu com força nas redes sociais no final de maio de 2017 e rapidamente se espalhou em vários sites e blogs. Nele podemos ver algumas pessoas no que parece ser uma fábrica “caseira” de cerveja. O que chama a atenção no vídeo é a total falta de higiene e as condições precárias do local, que estaria fabricando a cerveja Budweiser!
Algumas postagens sugerem que essa “empresa” seria brasileira e que a cerveja Budweiser falsa irá se espalhar pelo país!
Será que esse vídeo é real? Essa fábrica pirata de cerveja é brasileira?


Verdade ou farsa?

O vídeo é real, mas não foi filmado aqui no Brasil!
Na verdade, essa porcaria estava sendo feita em uma fábrica clandestina em Guangzhou, no sul da China. Segundo sites chineses, a Polícia fechou a fábrica – que produzia cerca de 600 mil caixas de Budweiser falsa por mês – após inúmeras denúncias.
Essa não foi a primeira intervenção contra esse tipo de pirataria na China. Em setembro de 2016outra fábrica dessa foi fechada e mais de 26.000 latas de cerveja falsa foram apreendidas!

Conclusão

O vídeo da fábrica de Budweiser falsa é verdadeiro, mas o caso aconteceu na China. A fábrica foi fechada pela polícia!  


Vídeo mostra fábrica clandestina da Budweiser! Será verdade? | E-farsas.com – Desvendando farsas da web desde 2002!

Pare o que está fazendo para ver a ventríloqua mirim que conquistou o mundo - Mega Curioso

BY Agro Mecânica Tatuí IN No comments



A pequena e extremamente simpática Darci Lynne levou os jurados e a plateia do programa “America’s Got Talent” à loucura. Risonha e um pouco tímida, Darci foi, aos poucos, mostrando um talento espetacular em interagir e manipular uma coelha que usou para se apresentar como ventríloqua.
Ela explicou que decidiu participar do programa para mostrar seu talento, já que não é mais tão comum vermos ventríloquos por aí. Acontece que, além de ser ótima nisso, Darci canta muito bem e conseguiu fazer uma apresentação que deixou todos de queixo caído.

Emocionante

Já no começo de sua performance, Darci arrancou aplausos calorosos da plateia e conseguiu fazer com que o exigente Simon, do corpo do júri, demonstrasse estar surpreso com o talento dela.
A reação dos pais de Darci, visivelmente emocionados e orgulhosos, também foi algo que deixou a apresentação ainda mais fofa e surpreendente. Ao final do show, Mel B., também do júri, ficou tão emocionada que, na falta de conseguir se expressar com palavras, apertou o cobiçado botão dourado, que pode ser apertado por cada jurado apenas uma vez ao longo do programa e que aprova o candidato independente dos outros votos. Assista ao vídeo e depois nos conte o que achou.


Pare o que está fazendo para ver a ventríloqua mirim que conquistou o mundo - Mega Curioso

sexta-feira, 5 de maio de 2017

Afinal, os insetos são nossos amigos ou inimigos? – Jornal da USP

BY Agro Mecânica Tatuí IN No comments

 Na USP em Piracicaba, grupo apresenta o mundo dos insetos e sua relação com o meio ambiente e o ser humano

Por - Editorias: Extensão





Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail
Laboratório
prático de entomologia: alunos têm a oportunidade de observar e
manusear exemplares de insetos – Foto: Divulgação/Esalq-USP

.

Entre os animais, eles não estão entre as espécies preferidas da maioria
das pessoas. Alguns provocam medo, outros, nojo. Mas, afinal, os
insetos são nossos amigos ou inimigos? É com essa pergunta que grupos de
visitantes são recebidos no Departamento de Entomologia e Acarologia
(LEA) da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) da USP
em Piracicaba.


Desde 2014, o grupo de Entomologia como Ferramenta de Integração
Universidade-Sociedade, coordenado pelo professor Alberto Soares Corrêa,
utiliza a infraestrutura do departamento para apresentar as
curiosidades do mundo dos insetos à população de Piracicaba e região,
principalmente estudantes. Além disso, ele destaca a importância da
interação homem/ambiente/inseto para a vida do planeta como conhecemos
hoje.


“Cerca de 50% de tudo que é vivo e já foi descrito na literatura
científica são insetos. Eles vão interagir com os seres humanos em todos
os ambientes do planeta Terra. Por isso, é importante catalogar novas
espécies e conhecer aspectos biológicos, ecológicos e comportamentais
dos insetos”, conta Corrêa.


Sobre a questão se eles são amigos ou inimigos, o professor responde
que depende do contexto. “Por exemplo, eles são nossos amigos quando
suprimem pragas em áreas agrícolas e urbanas, na polinização de plantas e
até mesmo na alimentação de animais e humana (entomofagia), mas podem
ser inimigos ao transmitirem doenças. ”


Corrêa destaca ainda que a ideia de criar o grupo de Entomologia foi
demonstrar uma visão mais ampla do estudo dos insetos e a participação
da Universidade na formação de profissionais, realização de pesquisas e
transferência de tecnologia.


“A Esalq é uma escola pública a serviço da sociedade. Falar dos
insetos é uma forma de apresentar a Universidade ao público. Apesar de
atendermos qualquer público solicitante, nós priorizamos os estudantes
de ensino médio, pois podemos apresentar informações gerais sobre alguns
cursos da Esalq, formas de ingresso e programas de assistência
estudantil”, ressalta o professor.


Professor Alberto Soares Corrêa é o coordenador do projeto de extensão – Foto: Divulgação/Esalq-USP

O mundo dos insetos

Entre as atrações da Esalq estão o meliponário, um local de criação
de abelhas nativas sem ferrão, o borboletário e o formigueiro-modelo de
saúvas, com número superior a um milhão de animais. Nesses espaços, o
público aprende as diferentes fases de vida dos insetos, os hábitos
comportamentais de alimentação, organização social e a importância dos
insetos no ambiente.


Há ainda o laboratório prático de entomologia, onde é possível
manusear alguns exemplares de insetos e conhecer sua diversidade por
meio das coleções entomológicas.

.


Crianças e monitores no laboratório prático de entomologia da Esalq – Foto: Divulgação/Esalq-USP

.

As visitas são guiadas por estudantes de graduação e pós-graduação que
estudam e pesquisam os insetos no departamento. Bruna de Almeida, aluna
de Ciências Biológicas da Esalq, é bolsista do grupo de Entomologia e
uma das monitoras das visitas.


“Esse contato com os visitantes é muito positivo e uma oportunidade
de levantarmos discussões como medo de alguns insetos, como abelhas, e
os problemas ocasionados pelo Aedes aegypti na transmissão da dengue”, conta a aluna.


Ela desenvolve uma pesquisa de iniciação científica sobre a relação
das mudanças climáticas e o desenvolvimento das joaninhas, que são
usadas como controle biológico natural de algumas pragas, e aproveita
para falar de seu estudo durante as visitas. “Esse contato nos estimula a
nos comunicar melhor sobre nossa área de pesquisa porque precisamos
manter o interesse e a atenção do público sobre o assunto. ”


As visitas podem ser agendadas pelo e-mail ascorrea@usp.br ou por telefone (19) 3429-4199, ramal 235.



Afinal, os insetos são nossos amigos ou inimigos? – Jornal da USP

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Uma jovem se mutilou por causa do desafio da Baleia Azul? | E-farsas.com – Desvendando farsas da web desde 2002!

BY Agro Mecânica Tatuí IN No comments



Será verdade que uma moça fez vários cortes
profundos em seus braços por causa do jogo do desafio da Baleia Azul?
Veja as fotos e descubra a verdade aqui no E-farsas!



As fotos de uma garota carioca chamada Larissa se espalharam pelas redes sociais no começo da segunda quinzena de abril de 2017. De acordo com o texto que acompanha as imagens, a moça teria se automutilado por causa do jogo do Desafio da Baleia Azul e em suas fotografias podemos ver a menina com cortes profundos em seu braço!


Será que essa história é real? Será que essas imagens são relacionadas ao Desafio da Baleia Azul?


Será que isso é verdade ou mais uma farsa da web?


Garota carioca se corta por causa por causa do Desafio da Baleia Azul! Será Verdade?

Verdade ou farsa?

O desafio da Baleia Azul é um jogo que consiste em uma série de 50 ordens que desconhecidos dão a adolescentes,
sendo que a última exige o suicídio do jovem. A moça (chamada de
“Mariana” em algumas versões) só estaria viva porque a mãe teria
conseguido impedir o fim trágico da filha.



Mas a verdade é que,
independente do tal desafio existir mesmo ou não, as fotos mostrando a
mocinha com o braço cheio de cortes horríveis nada tem a ver com o desafio da Baleia Azul.



Na verdade, as fotos espalhadas nas redes sociais são de uma garota filipina que se cortou em seu antebraço por causa de uma desilusão amorosa. De acordo com textos publicados em inglês,
o namorado da moça a deixou e ela, numa tentativa de chamar a atenção
do ex, publicou fotos suas nesse estado em sua conta no Facebook!



Conclusão

A foto que mostra uma moça com os braços cortados não tem relação com o desafio da Baleia Azul e tampouco é daqui do Brasil! 



Uma jovem se mutilou por causa do desafio da Baleia Azul? | E-farsas.com – Desvendando farsas da web desde 2002!

sexta-feira, 17 de março de 2017

Facebook esclarece confusão sobre corrente 'eu não autorizo'; entenda | Notícias | TechTudo

BY Agro Mecânica Tatuí IN No comments

Nesta quinta-feira (16) o Facebook começou a exibir para os usuários do Brasil um alerta sobre a corrente que vem circulando na rede social. O já famoso post do "eu não autorizo ..." causou confusão na cabeça dos membros da plataforma a ponto de ser lançado um comunicado à todos os perfis. Sob o título "Você está no controle", o site de Mark Zuckerberg esclarece que tudo não passa de um boato. Ao TechTudo, a rede social já havia informado, por meio de nota, que os seus usuários não precisam se preocupar com qualquer falsa ameaça sobre o "fim da privacidade". 
Aviso Facebook (Foto: Carolina Ochsendorf/TechTudo)Aviso do Facebook tenta acabar com farsa de corrente no feed (Foto: Carolina Ochsendorf/TechTudo)

O texto da corrente diz: "É amanhã... a partir de amanhã as suas publicações, fotos ou até mesmo mensagens que você excluiu serão publicas para todo mundo. Basta colar isso no seu mural, se você não autoriza o facebook a postar sua privacidade (copie e cole no seu mural não pode compartilhar). Eu NÃO autorizo o facebook a tirar minha privacidade". Entretanto, a ação de postar é desnecessária.




"A segurança e privacidade das pessoas são as nossas maiores responsabilidades e estão no centro de tudo que fazemos no Facebook. Temos políticas de dados e privacidade claras que dizem que tudo o que uma pessoa publica no Facebook é de propriedade dela e só ela é quem pode determinar os níveis de privacidade de suas publicações e informações na plataforma", disse um porta-voz do Facebook.
Aviso Facebook (Foto: Carolina Ochsendorf/TechTudo)Aviso Facebook (Foto: Carolina Ochsendorf/TechTudo)
No texto exibido no aplicativo do Facebook, a rede social, mais uma vez, nega que vá mudar a privacidade dos posts, tornar todos públicos ou fazer qualquer tipo de mudança no acesso ao conteúdo.
"Talvez você tenha visto uma publicação sugerindo que você deveria copiar e colar um aviso para manter o controle de tudo o que compartilha no Facebook. Não acredite nisso. Nossos temos de uso são claros: você é proprietário de todas as informações e conteúdos que publicar no Facebook e pode controlar o modo como serão compartilhados por meio de suas configurações de privacidade e de aplicativos. Essa política não foi alterada", diz o alerta que chama atenção no topo do feed de notícias.
Facebook esclarece confusão sobre corrente 'eu não autorizo'; entenda | Notícias | TechTudo

quinta-feira, 16 de março de 2017

Eca... Píton de 4 metros é vista vomitando impala inteira na África do Sul - Mega Curioso

BY Agro Mecânica Tatuí IN No comments

Nós aqui do Mega Curioso já postamos diversas matérias sobre cobras (com o olho maior que a barriga!) que devoraram todo tipo de animal — como outras cobrasantílopes e crocodilos —, e a verdade é que as refeições não são muito agradáveis de se ver. E não é que encontramos outra cena indigesta envolvendo serpentes e suas comidinhas!
Dessa vez, se trata de uma píton-africana com nada menos que quatro metros de comprimento que foi flagrada vomitando uma jovem impala inteirinha. O réptil foi encontrado em uma fazenda situada na província de Limpopo, na África do Sul, e Arthur Roden, um especialista em capturar esse tipo de animal, foi chamado para lidar com a situação. Você pode conferir a cena a seguir:
<iframe width="560" height="315" src="https://www.youtube.com/embed/zXtE8xQ1wCc" frameborder="0" allowfullscreen></iframe>

Devolvendo a comida

De acordo com Stephanie Pappas, do portal Live Science, Roden foi chamado pelo proprietário da fazenda, um homem que se dedica a criar impalas para caça. O pessoal da fazenda estava removendo o mato de uma área quando se deparou com a cobra fazendo sua refeição — e foi aí que o caçador de serpentes foi acionado. Aliás, tudo indica que essa não foi a primeira impala devorada por uma píton-africana no local!
Segundo Stephanie, a píton provavelmente regurgitou a impala por ter sido perturbada durante sua refeição. Conforme explicou, as serpentes se tornam bastante vulneráveis quando estão se alimentando, então, ao se deparar com a presença de Roden (humanos = perigo!), a cobra vomitou sua presa para se tornar mais leve e, assim, poder escapar com mais facilidade.

Devoradoras

A serpente do vídeo é uma píton da espécie Python sebae, e é o maior tipo de cobra que pode ser encontrado na África. Esses répteis podem chegar a medir até 8 metros de comprimento e, como você deve saber, matam suas presas por constrição. Além disso, esses animais engolem suas vítimas inteiras — e isso é possível graças às suas mandíbulas superflexíveis.
Olha a P. sebae aí!
Conforme explicou Stephanie, a parte inferior da mandíbula das pítons são divididas em duas partes que ficam conectadas por meio de ligamentos que, por sua vez, permitem que elas se movam de forma independente e se abram bastante. A mandíbula também fica ligada à parte traseira do crânio da serpente por meio de três juntas — que conferem uma maior amplitude de movimento.
O crânio mesmo é bastante simples, e apenas os ossos que protegem o cérebro são mais resistentes — e a razão disso é a de evitar que a passagem de eventuais chifres, cascos e ossos danifiquem o órgão. Ademais, as serpentes possuem outras adaptações que permitem que elas engulam “refeições” tão volumosas, como dentes curvados, que funcionam como espécies de ganchos que ajudam a empurrar as presas “para dentro”, e pele bastante flexível na região da boca.
Melhor deixar esses animais quietos!
Por sorte, as pítons raramente atacam humanos, embora incidentes envolvendo esses animais aconteçam de vez em quando. Um bastante trágico foi registrado no Canadá em 2013, quando uma dessas cobras que era mantida como animal de estimação (por quê?) em um apartamento escapou de seu terrário e matou duas crianças que estavam dormindo no imóvel. Mas, casos assim são incrivelmente incomuns, e o normal é que essas serpentes caiam vítimas de suas refeições — ou dos humanos mesmo. 




Eca... Píton de 4 metros é vista vomitando impala inteira na África do Sul - Mega Curioso

terça-feira, 14 de março de 2017

Descoberta área do cérebro que faz você se coçar ao ver alguém fazendo isso - Mega Curioso

BY Agro Mecânica Tatuí IN No comments

vOcê já sentiu uma vontade louca de se coçar quando viu alguém se coçando? O processo psicológico é bastante semelhante ao que acontece com o bocejo, e os ratinhos de laboratório também sofrem do mesmo mal – tanto é que eles estão nos ajudando a entender como tudo isso funciona.
Anteriormente, muitos estudos tentavam se apoiar na empatia para explicar por que sentimos a necessidade de compartilhar esses comportamentos sociais “contagiosos”. Porém, isso ainda não era conclusivo, até que cientistas da Universidade de Washington, nos Estados Unidos, resolveram testar o mesmo comportamento em outros mamíferos.
O ratinho foi o escolhido: para isso, dois indivíduos foram colocados em recipientes vizinhos, e um deles quase sempre se coçava ao ver o outro fazendo isso. Tentando provar que o estímulo visual criava a necessidade da repetição do comportamento, os ratos eram isolados apenas com uma tela de vídeo que mostrava um companheiro virtual. Mesmo assim, quando o rato do filme se coçava, o outro repetia.
Ratos compartilham da mesma vontade involuntária de se coçar dos homens ao ver um semelhante se coçando

Empatia? Não é bem assim...

O curioso do experimento acima é que os ratos são conhecidos por terem uma visão bastante fraca. Alguns cientistas achavam que eles sequer iriam decodificar a imagem da tela de vídeo – e isso não apenas aconteceu, como causou a reação da coceira da mesma forma como se ele estivesse com um companheiro de verdade.
Outro dado interessante é que os ratos normalmente demonstram empatia apenas por quem eles conhecem. Logo, ao se coçarem por ver um indivíduo estranho fazer o mesmo, a empatia realmente pode não ser a causa desse comportamento contagioso.
Então, analisando o cérebro dos bichinhos durante a coceira copiada, foi possível notar um aumento de atividade no núcleo supraquiasmático, que normalmente é responsável pelo ciclo circadiano – o tal relógio biológico. Os nervos desse núcleo se comunicam usando uma molécula semelhante ao peptídeo liberador de gastrina (GRP), que também é o responsável por enviar os sinais de coceira da pele à medula espinhal.
O núcleo  supraquiasmático dos humanos, assim como o dos ratinhos, fica no hipotálamo

Fim da coceira?

Com base nessas conclusões, os cientistas norte-americanos resolveram bloquear a GRP no cérebro do animalzinho. Dessa forma, ele não sentia mais o comichão de se coçar, nem mesmo ao ver outro rato se coçando. Porém, se o GRP fosse estimulado através de eletrodos no cérebro, a coceira vinha sem nem sequer ser necessário um estímulo visual para isso.
Ainda não está claro, porém, se esse é o mesmo caminho que acontece nos seres humanos. A próxima etapa do projeto é analisar o trajeto exato que a imagem desencadeia nos neurônios dos ratos, para daí, sim, termos uma resposta precisa sobre como esse “contágio” funciona.
Será o fim da coceira contagiosa?




Descoberta área do cérebro que faz você se coçar ao ver alguém fazendo isso - Mega Curioso